Fiorentina: 20 anos do último título da Viola

Fiorentina: 20 anos do último título da Viola

O ano de 2021 marca uma data redonda da última vez que a Fiorentina teve o orgulho de levantar um troféu. E por mais que essa fila seja amargada, não impede de lembrar aquela incrível campanha.

Para falarmos da temporada 2000/2001, temos que voltar um pouco no tempo para lembrar da derrota na final da Coppa Italia 98/99, quando a Viola viu escapar entre os dedos a taça nacional.

Depois de uma campanha sólida, a equipe perdeu a final para um estrelado Parma, que na época era uma da potências da velha bota, mas apesar da força do adversário, a ACF alinhou para aquelas finais um trio de respeito formado por Rui Costa, Edmundo e Batistuta.

Edmundo, Batistuta e Rui Costa formavam o "Trio delle meraviglie" ( o intruso da foto é o Torricelli )
Edmundo, Batistuta e Rui Costa formavam o “Trio delle meraviglie” (o intruso da foto é o Torricelli).
Foto: Twitter / @classicshirts

No primeiro jogo fora, a equipe saiu perdendo, mas Batistuta empatou aos 36 do segundo tempo. Com a vantagem do gol fora, quase 40 mil pessoas entupiram o Artemio Franchi na esperança de ser uma noite de gala, que na prática foi uma montanha russa de emoções.

Assim como na primeira partida, Hernán Crespo abriu o placar no final do primeiro tempo silenciando a torcida viola, porém ela iria voltar a gritar forte, quando veio o empate através de Tomáš Řepka no início da segunda etapa e a virada com Sandro Cois, aos 17.

Infelizmente, a alegria duraria apenas nove minutos até o gol do 2×2 marcado por Vanoli, dando o título ao Parma pelos gols fora, o que deixou Florença incrédula.

Apesar da derrota e de ter sido eliminada no 2º mata-mata da Copa da UEFA, em números frios, a temporada 98/99 não foi ruim, já que além de finalista na Copa nacional, a equipe comandada por Giovanni Trapattoni alcançou o 3º lugar do campeonato italiano.

VOCÊ JÁ VIU O BATE-PAPO COM THOMAS RAVELLI NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE?

Fiorentina: 20 anos do último título da Viola

Avançando no tempo

A temporada 99/00 foi bem aquém da anterior, com a Fiorentina terminando em 7º lugar na Serie A, caindo nas quartas da Copa da Itália para o Venezia e na fase de grupos da Champions League.

Por isso a temporada 2000/2001 era de recomeço, principalmente pela saída de Trapattoni e do seu grande craque Batistuta, vendido à Roma por 36 milhões de euros.

Para comandar a equipe chegou o turco Fatih Terim e para suprir a saída de Batigol, aportou em Florença o português Nuno Gomes, do Benfica, por 17 milhões de euros.

Fiorentina: 20 anos do último título da Viola - Nuni Gomes
Nuno Gomes entraria para a história da Viola.
Foto: reprodução

Vale ressaltar a chegada do brasileiro Amaral por uma “bagatela” de 750 mil euros, que foi peça chave no meio campo viola para aquela temporada vitoriosa.

Com a partida de Edmundo, que retornou ao Brasil, o único remanescente do trio de 99 foi Rui Costa, que agora tinha o já citado Nuno e nomes como o sérvio Predrag Mijatović e Enrico Chiesa para formar o setor ofensivo do time.

A Fiorentina terminou o campeonato italiano na 9ª colocação e tombou logo de cara na Copa da UEFA para o “possante” FC Tirol da Áustria, porém nenhum desses dissabores importou.

Logo na estreia da Copa da Itália, um sonoro 5×0 fora de casa frente à Salernitana com um hat-trick de Nuno Gomes dava o tom do que seria uma campanha histórica na competição.

Gostando da história? Nós também temos outros posts sobre futebol italiano!

Em casa, a equipe de Terim fez um 3×1 protocolar, com gols de Chiesa, Mijatović e Vanoli, aquele mesmo carrasco da temporada 98/99 que agora se tornara aliado.

Nas quartas, o espancado da vez foi o Brescia, que tomou 6×0 da Viola em Florença com gols de Enrico Chiesa, Rui Costa, Mauro Bressan e do brasileiro Leandro Amaral. A derrota de 3×1 na volta não fez diferença.

Nas semifinais, uma pedreira: o Milan de Maldini, Boban e Shevchenko. Na ida, em Milão, Chiesa e Bressan fizeram os tentos da Fiorentina no 2×2 que dava a vantagem de gols fora para a volta.

Em Florença, Rui Costa deu o tom dos 2×0 frente aos Rossoneri, com uma assistência para o gol de Chiesa e marcando ele mesmo o segundo para carimbar a vaga na finalíssima.

Fiorentina: 20 anos do último título da Viola

Dolce vendetta

A decisão não poderia oferecer um adversário melhor para coroar uma conquista com uma doce vingança, pois do outro lado estava o Parma, para quem a Viola havia perdido o título anos antes.

Vanoli tirou qualquer mágoa dos torcedores fiorentinos da final de 98/99, fazendo um gol valiosíssimo na primeira partida no Ennio Tardini, no apagar das luzes da partida de ida e dar uma vantagem para a volta em Florença.

Porém, escaldados da final perdida em 99, a Fiorentina sabia que não poderia cantar vitória antes do tempo por ter a vantagem de gols fora. Na verdade, ela foi por água abaixo quando Savo Milosevic abriu o placar para o I Crociati, aos 38 do primeiro tempo.

Mas dessa vez a equipe não deixaria escapar, quando Nuno Gomes marcou aos 19 da segunda etapa para dar aquele gol que causou um abalo sísmico no Artemio Franchi e em toda cidade de Florença.

Final de jogo: 1×1 e a Fiorentina conquistava a sexta Coppa Italia da sua maravilhosa história.

Foto: violapress.com

Gostou do material?  Compartilhe com seus amigos.

Equipe FCA

Instagram: @FutebolComAmorbr

Twitter: @FutebolComAmor

Facebook: FutebolComAmor

www.futebolcomamor.com.br

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *