Alberto Paloschi: o que aconteceu com o “Pato italiano”?

Alberto Paloschi: o que aconteceu com o “Pato italiano”?

Flop, foguete molhado, enganação, promessa que não vingou… enfim, o que não faltam são rótulos para aqueles jogadores que surgiram com grande expectativa, mas nunca entregaram o que se esperava.

Nosso personagem de hoje se encaixa bem em qualquer uma dessas definições, devido ao seu início arrasador e ao bendito apelido que lhe foi atribuído.

Nascido em Chiari, província de Brescia, Alberto Paloschi ganhou destaque nas categorias de base do Milan, após ser campeão nacional sub-17 com os rossoneri na temporada 2006/2007.

Alberto Paloschi
Foto: Goal.com

Seu início no profissional se deu na temporada 2007/2008, sob a confiança do treinador Carlo Ancelotti e a “tutela” de Filippo Inzaghi, lenda do clube que deu várias dicas para o garoto.

Ancelotti viu em Paloschi uma opção para o time profissional que na época contava com Inzaghi, Ronaldo, Gillardino e Alexandre Pato, lembrando que o Fenômeno ainda retornava de lesão e Pato esperava completar 18 anos e a janela de janeiro abrir para poder atuar.

Inzaghi era o modelo de Paloschi, que se inspirou nele em todos os movimentos no campo. Inclusive, quando ainda estava no sub-17, ele declarou que ficava depois dos treinos observando o seu ídolo.

Na véspera da sua estreia nos profissionais, Paloschi passou horas conversando com Inzaghi sobre como se movimentar para confundir os zagueiros rivais.

A primeira partida das oitavas de final da Coppa Itália foi a estreia do adolescente e por mais que o Milan tenha perdido de 2×1 para o Catania, ele deixou o seu golzinho.

Alberto Paloschi abraça o seu ídolo Inzaghi após marcar pelo Milan.
Foto: acmilan.com

Na partida de volta, ele retornaria a marcar, porém o seu aproveitamento no time se deu ao fato do Milan ter escalado reservas para priorizar o Mundial de Clubes, disputado no Japão.

Com a virada do ano, Alexandre Pato ficou apto para jogar e somado ao fato de Paloschi começar a marcar seus gols também na Serie A, ele logo ganhou o apelido de “Pato italiano”.

A questão é que o jovem de Brescia era o oposto do brasileiro, que gostava da fama e chegava a Milão cercado de expectativas.

Paloschi era mais reservado. Para se ter ideia, ele ainda estava terminando o ensino médio e se deslocava de ônibus, mas com um apelido desse, logo se esperava que ele fizesse no mínimo o mesmo que Pato.

Com o final da temporada 2007/2008 e a contratação de Ronaldinho Gaúcho, Paloschi foi emprestado para o Parma em um esquema de co-propriedade. A esperança era que ganhasse rodagem e retornasse no futuro.

Alberto Paloschi
Alberto Paloschi no Parma.
Foto: goal.com

Ele marcou 12 gols na temporada 2008/2009, ajudando o clube a retornar para a Serie A. O italiano ficou no Parma até janeiro de 2011, quando foi envolvido em uma negociação com o Genoa, depois de 58 jogos e 18 gols.

Alberto Paloschi
Apresentação de Paloschi no Genoa.
Foto: genoa cfc

Depois de meia temporada e apenas 12 jogos e 2 gols, Paloschi retornou ao Milan no final da temporada 2011/2012 e não foi aproveitado, sendo repassado ao Chievo, com um empréstimo com opção de compra.

Apesar de estar longe de fazer o que Alexandre Pato fazia naquele mesmo período, Paloschi já somava convocações para todas as seleções de base da Itália e o Chievo seria a sua oportunidade de mostrar que ainda podia ser um grande jogador.

Paloschi atuando pela seleção da Itália sub-21.
Foto: Valerio Pennicino / Stringer

De fato, seu período em Verona foi o melhor da sua carreia em matéria de números, somando 48 gols em 152 jogos nas cinco temporadas que defendeu o Chievo, que o comprou definitivamente do Milan por 3 milhões de euros.

Paloschi teve seu melhor momento no Chievo.
Foto: https: www.sportsmole.co.uk

No período entre 2010 e 2012 foi onde teve suas lesões mais sérias: uma na coxa, que o deixou parado por quatro meses, e uma cirurgia no tornozelo, que o parou por quase três meses.

Em 2016, já com seus 26 anos, veio uma grande chance ao ser vendido ao Swansea City, que jogava a Premier League, por cerca de 8.8 milhões de euros.

Alberto Paloschi
Paloschi sendo apresentado no Swansea.
Foto: walesonline.co.uk

O próprio jogador chegou a declarar que iria retribuir tudo o que foi investido nele, inclusive citando que gostaria de ser o Filippo Inzaghi do Swansea.

Porém nada disso aconteceu e após cinco meses, o Swansea o vendeu por 6.7 milhões de euros ao Atalanta, depois de apenas dez jogos e dois gols.

Paloschi
Paloschi “flopou bonito” na Premier League.
Foto: teamtalk.com

Depois disso, a carreira de Paloschi foi por água abaixo, pois também só ficou um ano na Atalanta sem marcar nenhum golzinho em 14 jogos, o que causou o seu empréstimo ao SPAL ao final da temporada 17/18.

O SPAL chegou a comprar o jogador na segunda temporada, porém ele não emendou a terceira e foi emprestado ao Cagliari em 2020, já com seus 30 anos, para os últimos momentos da sua carreira, que foi bem diferente do imaginado.

Apresentação de Paloschi no Cagliari:
Foto: Divulgação

Gostou do material?  Compartilhe com seus amigos.

Equipe FCA

Instagram: @FutebolComAmorbr

Twitter: @FutebolComAmor

Facebook: FutebolComAmor

www.futebolcomamor.com.br

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *