Capitais do futebol: Santiago – parte 2

Capitais do futebol: Santiago – parte 2

Nessa segunda parte, vamos falar mais dos pesos pesados da capital chilena. Se você perdeu a primeira parte onde falamos dos times das colônias, basta clicar abaixo.

Capitais do futebol: Santiago – parte 2

Colo-Colo

Capitais do futebol: Santiago parte 2

O Club Social y Deportivo Colo-Colo foi fundado em 1925, ainda sob o nome inglesado de Colo-Colo Foot-Ball Club.

Desde 1950, o clube carrega no seu escudo a imagem de um índio Mapuche, chamado de Colo-Colo, que lutou contra os espanhóis da Guerra de Arauco.

Capitais do futebol: Santiago parte 2
Busto do índio Mapuche na entrada do Estádio Monumental.

O El Colo manda seu jogos no Estádio Monumental, chamado de La Ruca, localizado na comuna de Macul.

Capitais do futebol: Santiago parte 2
Estádio Monumental La Ruca.

O fardamento do Cacique tem um significado para cada cor: a camisa branca representa a pureza, o calção preto, a seriedade e, apesar de hoje suas meias serem alvinegras, no início de suas história elas eram azul marinho com uma listra branca, fazendo alusão às cores da Marinha do Chile.

Outro detalhe é a tarja preta em cima do escudo em alusão ao luto eterno pelo fundador e primeiro capitão David Arellano, morto em uma excursão que o clube fazia na Europa em 1927. Após choque com um adversário em uma partida, ele desenvolveu uma peritonite (ruptura da parede abdominal), vindo a falecer 24 horas depois.

Capitais do futebol: Santiago parte 2
Camisa do Colo-Colo.

Em matéria de glórias, o Colo-Colo é o mais vencedor do Chile: são nada menos do que 32 títulos do campeonato chileno e 12 da Copa do Chile. Recorde absoluto com uma boa distância para os demais.

O mais popular do país também é o único clube chileno a já ter levantado uma Copa Libertadores da América, pois no ano de 1991, o clube bateu Nacional de Montevidéu e Boca Juniors no seu caminho até a final, onde levou o melhor sobre o Olímpia do Paraguai, erguendo assim a glória continental.

Capitais do futebol: Santiago parte 2
Colo-Colo campeão da Libertadores em 91.
Foto: Colo-Colo

Capitais do futebol: Santiago – parte 2

Santiago Morning

Capitais do futebol: Santiago parte 2

Hoje em divisões de acesso, o Santiago Morning já viveu dias melhores na sua história mais que centenária.

Sua fundação foi em 1903, sob o nome de Santiago Football Club. Conhecido como Bohemios, a equipe tem sede na comuna de Recoleta e manda seus jogos no Estádio Municipal de La Pintana.

 Estádio Municipal de La Pintana
Estádio Municipal de La Pintana.
Foto: Repdrodução

Os Recoletanos têm como característica principal sua camisa branca com um V negro, semelhante ao uniforme do Vélez Sarsfield da Argentina e não é à toa que são conhecidos também como La V Negra.

O troféu que mais reluz na galeria do Santiago Morning é o do título do campeonato chileno de 1942.

Santiago Morning: campeão chileno de 1942.
Foto: Wikipédia

Capitais do futebol: Santiago – parte 2

Universidad de Chile

Capitais do futebol: Santiago parte 2

Nascida em 1927, como resultado da fusão de vários clubes, o Club Universidad de Chile figura como um dos maiores do país.

La U é o segundo maior vencedor nacional, tanto no campeonato chileno quanto na Copa do Chile, perdendo apenas para o Colo-Colo.

Seu principal símbolo é uma coruja chamada de Chumcho. Essa ave típica do Chile também figura no escudo do clube como um sinal de sabedoria devido a toda a sua ligação com a esfera universitária.

Estádio Nacional do Chile.
Foto: Reprodução

Os Azules, que mandam suas partidas no Estádio Nacional do Chile, já levantaram 18 campeonatos chilenos e cinco Copas do Chile. Internacionalmente, sua maior glória foi o título da Copa Sul-Americana de 2011, sendo o primeiro clube chileno a erguer a competição.

Capitais do futebol: Santiago parte 2
La U campeã da Copa Sul-Americana de 2011.
Foto: Getty Images

Capitais do futebol: Santiago – parte 2

Green Cross

O Club de Deportes Green Cross teve uma curta história marcada por glória e tragédia. Fundado em 1916 por estudantes de colégios católicos, o clube tinha como símbolo uma cruz templária verde.

Capitais do futebol: Santiago parte 2
Foto: Reprodução

Os Albiverdes conquistaram o campeonato chileno de 1945, troféu de maior importância do clube que passou uma tragédia semelhante a clubes como Torino, Manchester United e mais recentemente, a Chapecoense.

Na noite do dia 3 de abril de 1961 a delegação do Green Cross se dividiu em duas, pois a maioria preferiu não partir no primeiro voo que teria mais escalas e foi justamente o segundo que sofreu a tragédia.

No trajeto entre Castro e Santiago, na volta de um jogo da Copa do Chile, a aeronave se perdeu nos Andes. Na última mensagem no rádio, o piloto reportava gelo cobrindo as asas e as hélices.

A cauda e alguns restos mortais foram encontrados no dia 10 de abril de 1961. Todos os 24 passageiros foram dados como mortos, incluindo oito jogadores e dois membros da comissão técnica do Green Cross.

Capitais do futebol: Santiago parte 2
Funeral simbólico de atletas e comissão do Green Cross.
Foto: Reprodução

Dentre as vítimas estava o argentino Eliseo Mouriño, que era estrela do Boca Juniors e integrava a seleção argentina, tendo inclusive disputado a Copa do Mundo de 58 e que tinha acabado de ser contratado pelo El Pije.

Eliseo Mouriño.
Foto: El Gráfico

Em solidariedade, a Copa do Chile de 1961 foi rebatizada como Copa Green Cross do Chile. Em fevereiro de 2015, os destroços do Douglas DC-3 da empresa LAN foram encontrados junto com restos ósseos em um lugar diferente do que se acreditava.

Depois desse fato pesadíssimo o clube ainda engatou uma crise sem precedentes quando seu presidente foi acusado de roubar o Banco Central do Chile, onde era sub-tesoureiro. Basicamente, parte do dinheiro do banco havia sido desviado para pagar dívidas e salários do Green Cross.

Em 1963, os alviverdes se mudaram para a cidade de Temuco, após se fundir com o time homônimo, criando o Green-Cross Temuco.

Capitais do futebol: Santiago – parte 2

Universidad Católica

O Club Deportivo Universidad Católica surgiu em 1937 e, apesar de ser mais novo em relação aos clubes que já falamos, é um dos mais vencedores do Chile.

Conhecido como Católica, a equipe já levantou quatorze títulos do campeonato chileno, além de ser tetracampeã da Copa do Chile.

Universidad Católica: campeã chilena de 2019.
Foto: Reprodução

No âmbito internacional, chegou à final da Libertadores da América de 1993, onde perdeu para o São Paulo, mas com a recusa do tricolor em disputar a Copa Interamericana frente ao campeão da CONCACAF, coube aos Los Cruzados representarem a América do Sul.

E eles não fizeram feio, pois bateram o Deportivo Saprissa da Costa Rica para levantar um título internacional.

Foto: Repdrodução Arte: Columna de Razta.

O escudo da equipe que manda seus jogos no Estádio San Carlos de Apoquindo não poderia ter um significado diferente do esperado, tendo em vista o seu nome.

Estádio San Carlos de Apoquindo.

O seu formato triangular faz alusão às bandeiras de batalha usadas pelos guerreiros na época das cruzadas.

A cruz azul representa Jesus Cristo e o céu, a cor branca, a pureza imaculada e o vermelho o sangue divino que redime o homem, lembrando que essas também são as cores da bandeira chilena.

Essa matéria foi produzida em 02/10/20 e é natural que desatualize em questão de número de títulos com o passar do tempo.

Gostou do material?  Compartilhe com seus amigos.

Equipe FCA

Instagram: @FutebolComAmorbr

Twitter: @FutebolComAmor

Facebook: FutebolComAmor

www.futebolcomamor.com.br

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *