Skjelbred: o talento oriundo da TV

Per Ciljan Skjelbred – O futebol norueguês sempre trabalhou bem a sua base, afinal o país nórdico não tem a mesma projeção comparado a outras nações europeias. Por isso, ao longo da história surgiram jogadores de sucesso que levaram a seleção a competições importantes.

Só que o curioso é que um desses jogadores foi revelado, de certa forma, pela televisão, e teve uma carreira de relativo sucesso. Vamos falar nesse post de Per Ciljan Skjelbred, o jogador que além da origem curiosa ainda esnobou um gigante europeu.

O início na TV

Nascido em 16 de junho de 87, em Trondheim, Per deu seus primeiros passos no futebol no Trygg/Lade, clube do bairro de Lade. Seu talento foi logo percebido pelos treinadores e isso o levou a participar de um evento que mudaria sua vida.

Skjelbred foi selecionado para fazer parte de um reality show chamado Proffdrømmen, que traduzido seria algo como “Sonhos de ser jogador profissional”.

Esse programa, realizado pelo canal norueguês TV3, é uma competição onde vários garotos na faixa dos 15 anos eram submetidos a provas de talento de futebol. Algo parecido com o programa “Joga 10” que passou na Rede Bandeirantes em 2005.

O prêmio seria nada mais nada menos do que uma semana de treinamentos no Liverpool da Inglatera, e sim Per Ciljan foi o vencedor do programa e ganhou a honraria de mostrar seu talento no colosso europeu.

Skjelbred não só treinou como se destacou, recebendo do clube inglês uma proposta para fazer parte do Sub-16 dos Reds. Lembrando que na época, havia um jogador norueguês no time principal do Liverpool, John Arne Riise que, obviamente, seria alguém para ajudar na adaptação.

Skjelbred ganhou o prêmio de treinar uma semana com o sub-16 do Liverpool.

Mas para a surpresa de todos, PCS recusou a oferta e prefiriu retornar a sua cidade natal, onde já havia se acertado para engressar nas categorias de base do maior time da sua cidade e da Noruega, o Rosenborg BallKlubb.

Começando a todo vapor

Seu início no time de Trondheim foi meteórico. Em 2004, aos 16 anos já estreava no time principal contra o Bodø/Glimt, sendo assim o segundo jogador mais jovem a jogar pelo RBK.

Per Ciljan Skjelbred ainda adolescente estreou no Rosenborg
Per Ciljan Skjelbred ainda adolescente estreou no Rosenborg.

Skjelbred sempre foi um volante/meia que além de ser um forte marcador, ainda tinha uma ótima qualidade de saída de bola. Tudo o que o futebol moderno pede.

A sua caminhada teve que fazer uma pausa forçada em 2005. O Rosenborg ia jogar a partida de volta da Champions League daquele ano contra o Olympiacos. No jogo de ida PCS havia marcado o dele.

Tudo ia bem até Ieroklis Stoltidis dar uma entrada criminosa em Per Ciljan que teve sua perna direita fraturada. Isso aconteceu em 23 de novembro de 2005 e ele só retornaria aos gramados em 10 de março de 2006.

Stoltidis quebrando Skjelbred
Stoltidis quebrando Skjelbred.

Recuperado, foi peça fundamental do RBK que já vinha enfileirando taças no país. No seu período no clube, ele fez parte dos times campeões da liga em 2004, 2006, 2009 e 2010.

Skjelbred ganhou muitos troféus com o Rosenborg
Skjelbred ganhou muitos troféus com o Rosenborg.

Foi durante esse tempo também que Skjelbred deu os seus primeiros passos na seleção da Noruega, sendo chamado para a equipe sub-21 quando tinha 18, em 2005.

Não demorou muito para ingressar na seleção principal em 2007, e somado a suas atuações pelo Rosenborg, ele seria cobiçado por times de ligas maiores.

Foto de Per iniciando na seleção norueguesa.
Skjelbred iniciou na seleção principal da Noruega aos 20 anos.

Saindo de casa

O alemão Schalke 04 e o Everton da Inglaterra eram clubes que a imprensa ventilava como possíveis destinos do jogador que estava com 24 anos naquela altura e já era um jogador formado e não uma promessa.

Em 2011, o destino do jogador foi a Alemanha, mas não para o Schalke 04, e sim para o Hamburgo SV que desembolsou 500 mil euros para contar com o meia.

Per Ciljan sendo apresentado em Hamburgo.
Skjelbred chega a Hamburgo para jogar em uma liga top da Europa.

O início era promissor, ainda mais depois que o então técnico do Hamburgo, Michael Oenning, declarou que já havia tentado contratá-lo antes quando treinava o Nurnberg.

Porém, o atleta não conseguiu se firmar no time da cidade portuária. Ao todo foram apenas 26 jogos e logo veículos como a revista Kicker publicavam que a contratação do norueguês havia sido um erro.

Skjelbred teve maus momentos no Hamburgo.
Skjelbred teve maus momentos no Hamburgo.

Após uma temporada e meia no time alemão, Per fora colocado na lista de transferências na janela de inverno de janeiro de 2013, porém depois do fechamento, o jogador não conseguiu acordo com nenhum clube e seguiu no HSV para o resto da temporada 12/13.

O Recomeço

Para a temporada 13/14, PCS saiu da cidade portuária rumo à capital histórica Berlim. Agora emprestado ao Hertha, aos 27 anos, ele tinha a oportunidade de tentar de novo.

Skjelbred sendo apresentado no Hertha Berlin
Skjelbred tinha uma segunda chance no futebol alemão no Hertha Berlin.

Per jogou nessa temporada no Hertha Berlin mais do que em duas no Hamburgo. Se firmou como pilar do meio campo da Die Alte Dame, sendo eleito o melhor jogador norueguês da temporada no país.

Depois de uma temporada de empréstimo, PCS se transferiu de forma permanente ao time berlinense que pagou 1,3 milhões de euros para obter o jogador.

Per Ciljan com a camisa do Hertha Berlin
Skjelbred teve ótimas atuações na primeira temporada no Hertha.

Na sua segunda temporada no HBSC, apesar de ser um dos melhores jogadores do time, sofreu para que a equipe não fosse rebaixada. Já na terceira, veio o seu melhor momento.

Na temporada de 15/16 o Hertha terminou em 7º na Bundesliga, que o levou à Liga Europa, e ascendeu às semifinais da Copa da Alemanha, uma evolução grande em comparação ao ano anterior.

Voltando para casa

Nas temporadas seguintes Per continuou sendo parte do time que não brigou mais pelo rebaixamento. Em fevereiro de 2020, ele anunciou o seu retorno ao Rosenborg ao final do seu contrato com o Hertha. Fica a curiosidade de saber como seria se lá no início ele escolhesse o Liverpool.

Na seleção norueguesa, o jogador deu um certo azar, pois pegou uma geração posterior a da que jogou as Copas de 94, 98 e a Euro 2000, que contava com nomes como Solskjær, Tore André Flo e Kjetil Rekdal.

Por outro lado, quando uma geração promissora apareceu com nomes como Martin Ødegaard, Sander Berge e Erling Håland, Skjelbred já estava na parte final da sua carreira. Ele até chegou a jogar com Ødegaard, mas quando ele ainda era apenas uma promessa.

Ødegaard e Skjelbred
Ødegaard e Skjelbred.

Após 43 jogos com a Noruega, onde chegou a ser capitão, Skjelbred se aposentou da seleção em 2017, sem nunca ter disputado uma competição oficial com seu país.

Gostou do material?  Compartilhe com seus amigos.

Equipe FCA

Instagram: @FutebolComAmorbr

Twitter: @FutebolComAmor

Facebook: FutebolComAmor

Canal no Youtube: FutebolcomAmorSite

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *