Promessas do futebol que se foram antes de brilhar.

Promessas do futebol que se foram antes de brilhar – Da mesma forma que existem jogadores que aparecem como futuros craques que confirmam as expectativas e atletas que nunca viraram o que se esperava deles, existe uma outra faceta notavelmente triste. Jovens que não tiveram a oportunidade de responder essas previsões, pois faleceram cedo. Nesse post/homenagem vamos falar deles.

Promessas do futebol que se foram antes de brilhar

Dener

Promessas do futebol que se foram antes de brilhar - Foto de Dener com a camisa da Portuguesa

Apelidado logo cedo de “Reizinho do Canindé”, o meia-atacante surgiu como um furacão pela Portuguesa. Rápido driblador, também jogou por Grêmio e Vasco, onde foi campeão gaúcho e carioca. Dener conseguia, mesmo com o seu estilo de vida baladeiro, ser uma esperança para o futebol brasileiro. Ele chegou a jogar 2 vezes pela seleção brasileira e tinha tudo para estar na Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos.

No dia 19 de abril de 1994, 17 dias depois de completar 23 anos, Dener voltava de São Paulo, onde esteve em uma reunião para selar sua transferência para o Stuttgart, da Alemanha. 

Na volta para o Rio, onde jogava pelo Vasco, o carro em que estava no banco do carona, bateu em uma árvore, às margens da Lagoa Rodrigo de Freitas, após o condutor dormir ao volante.

Dener, que estava dormindo, de cinto e com o banco inclinado, morreu por asfixia devido a uma lesão na laringe. O meia deixou uma esposa e três filhos.

Reportagem da morte de Dener.

Promessas do futebol que se foram antes de brilhar

Junior Malanda

Promessas do futebol que se foram antes de brilhar - Foto de Junior Malanda com a camisa do Wolfsburg.

Bernard Malanda-Adje, apelidado de Junior Malanda, era uma promessa gigante do futebol belga. Começou sua carreira no Lillie, da França, mas foi se destacando pelo Zulte Waregem, da Bélgica, onde ganhou notoriedade  por fazer parte do vice-campeonato do pequeno time belga, o levando a disputar a Liga Europa.

Promessas do futebol que se foram antes de brilhar - Junior Malanda com a camisa do Zulte Waregem
Malanda gastou a bola no Zulte Waregem.

Ao mesmo tempo, o volante foi convocado para todas as seleções de base do seu país, o que fez com que o  Wolfsburg da Alemanha o contratasse por 5 anos.

Na época, o diretor do clube alemão  Klaus Allofs afirmou: ” Antes de contratá-lo, nós acompanhamos o seu desenvolvimento de perto. No último ano e meio, ele nos convenceu com suas grandes performances contínuas. Portanto, nós decidimos trazê-lo para o Wolfsburg nessa fase inicial. Apesar da idade, Junior é um jogador que tem a experiência necessária. Agora com o Vfl, ele tem a chance de desenvolver esse grande potencial.”

Infelizmente, o atleta não teve a chance de mostrar tudo o que se esperava dele, pois no dia 10 de janeiro de 2015, aos 20 anos, Malanda morreu após o seu carro, em meio a um tempo chuvoso, se chocar com uma árvore.

Camisa do Wolfsburg em homenagem a Malanda.
O Wolfsburg jogou vestindo uma camisa em homenagem a Malanda. 19 era o número dele.

Foto do carro após o acidente de Malanda.
Estado que ficou o carro em que Junior Malanda estava.

A perícia indicou que o carro estava em alta velocidade e que o jogador no banco de trás estava sem cinto de segurança, sendo catapultado para fora do veículo e morrendo instantaneamente.

Promessas do futebol que se foram antes de brilhar

Antonio Puerta

Promessas do futebol que se foram antes de brilhar - Foto de Antonio Puerta com a camisa do Sevilla.

Bicampeão da Copa da UEFA, campeão da Copa do Rey, da Supercopa da Europa e da Supercopa da Espanha. Convocado para todos os times de base da seleção espanhola e uma vez para a equipe principal. Mesmo com esse currículo, Antonio José Puerta Pérez, ainda tinha apenas 22 anos quando desmaiou em campo devido uma parada cardíaca, jogando pelo Sevilla frente ao Getafe, pelo campeonato espanhol.

Golaço de Puerta contra o Schalke

O atleta, que já era cobiçado por times como Arsenal, Manchester United e Real Madrid, chegou a ser reanimado e sair de campo caminhando, mas teve outras cinco paradas no vestiário onde foi reanimado com um desfibrilador.

Fora encaminhado para o hospital Virgen del Rocio, em Sevilha, onde ficou internado por 3 dias, até falecer no dia 28 de agosto de 2007, devido os irreparáveis danos no cérebro em decorrência das paradas, que foram 9 no total, e posteriormente falha em alguns órgãos. Puerta deixou uma namorada grávida de 8 meses do seu primeiro filho.

Puerta recebeu, postumamente, a medalha do mérito desportivo do governo espanhol. Além disso várias outras homenagens foram feitas ao atleta, como por exemplo o Troféu Puerta criado pelo Sevilla.

Aitor Antonio Puerta, homenageando seu pai que nunca conheceu durante o Troféu Puerta.
Aitor Antonio Puerta, homenageando seu pai que nunca conheceu durante o Troféu Puerta.

Promessas do futebol que se foram antes de brilhar

Duncan Edwards

Foto de Duncan Edwards.

Um jogador que se não tivesse morrido tão cedo, aos 21 anos, poderia ter sido melhor que Pelé e Maradona. É assim que Duncan Edwards é visto por muitos na Inglaterra, principalmente, para os cronistas da época. Foi o atleta mais jovem a atuar na antiga primeira divisão inglesa e na seleção da Inglaterra desde a Segunda Guerra Mundial.

Foram 177 jogos pelos “Red Devils”,  com 21 gols e 4 troféus erguidos, ficando em 3º na Bola de Ouro da France Football. O meia esquerda estava no que ficou conhecido como “Desastre aéreo de Munique”, quando retornava de Belgrado, após uma partida contra o Estrela Vermelha, pelas quartas de final da Copa dos Campeões.

O avião do Manchester United parou na Alemanha para reabastecer, mas enfrentou dificuldades técnicas para decolar de volta para Inglaterra. Após duas tentativas o piloto chegou a cancelar o voo. 

Duncan  chegou a mandar um telegrama para a noiva dizendo“Todos os voos foram cancelados, voando amanhã. Duncan.” Porém, mesmo sendo aconselhado a ir no dia seguinte, por não querer passar a noite na Alemanha e temendo não chegar no horário, o piloto decidiu pela terceira e trágica tentativa no dia 6 de fevereiro de 1958.

Avião do Manchester United após a tragédia.
Avião do Manchester United após a tragédia.

A aeronave não conseguiu decolar, pois  derrapou em uma camada de neve no final da pista perdendo a velocidade para alçar voo. O avião ultrapassou a pista e se chocou com as casas próximas, uma delas era um armazém onde tinha um caminhão com combustível, que explodiu com o choque. 21 pessoas, sendo 7 jogadores do United morreram na hora.

Duncan, que até a segunda tentativa estava sentado no meio, foi para o fundo por julgar ser mais seguro, mas foi lá a parte mais impactada. Edwards foi resgatado com vida pelos bombeiros, com várias lesões pelo corpo e foi encaminhado para o hospital Rechts der Isar, onde lutou pela vida e mesmo fortemente sedado chegou a falar:  “Vamos mãe, leve-me para casa logo. Nós vamos jogar contra os Wolves no sábado e eu não posso perder esse jogo”. Duncan faleceu em 21 de fevereiro de 1958, 15 dias após a tragédia por insuficiência renal aguda.

Estátua de Duncan Edwards em Dudley, sua cidade natal.
Estátua de Duncan Edwards em Dudley, sua cidade natal.

Promessas do futebol que se foram antes de brilhar

Mahicon Librelato

Foto de Mahicon Librelato sendo apresentador no Internacional.

O atacante nascido em Orleans, estado de Santa Catarina, foi levado pelo tio ao Criciúma após se mostrar um jogador muito promissor no futsal. No tigre, Mahicon se destacou logo de cara, sendo campeão estadual de juniores, em 2000.

No ano seguinte, já entre os profissionais, foi artilheiro do campeonato catarinense, com 19 gols, e salvou a equipe de cair para a série C ao marcar um gol com o seu ombro deslocado, contra o Sergipe. 

Ainda esse ano, deu uma assistência para gol em um amistoso de uma seleção catarinense contra a seleção do Uruguai, o que o levou a ser contratado pelo gigante Internacional de Porto Alegre, em 2002. 

O atleta fez um bom primeiro ano pelo Inter, se sagrando campeão gaúcho e marcando 10 gols em 28 jogos, um deles, inclusive, na vitória de 2×0 sobre o Paysandu em Belém, que ajudou  o colorado a não cair para a série B.

Mahicon Librelato morreu no dia 28 de novembro de 2002, aos 21 anos, em Florianópolis, quando o seu veículo que ainda tinha mais duas pessoas, saiu de controle na Avenida Beira-Mar, numa curva próxima à cabeceira da Ponte Hercílio Luz, sendo jogado para dentro do mar.

Os bombeiros tiveram que quebrar os vidros do carro que ficou totalmente submerso para resgatar as vítimas. Os seus amigos conseguiram ser reanimados, mas Mahicon infelizmente não resistiu e faleceu devido a uma  parada cardiorrespiratória

Veículo onde estava Mahicon Librelato.

Gostou do material?  Compartilhe com seus amigos.

Equipe FCA

Instagram: @FutebolComAmorbr

Twitter: @FutebolComAmor

Facebook: FutebolComAmor

Canal no Youtube: FutebolcomAmorSite

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *