Defensor Sporting -sempre desafiando gigantes.

Defensor Sporting – O Uruguai sempre foi um país que surpreende por ser tão forte no cenário do futebol mundial, mesmo tendo uma das menores populações e extensões territoriais do mundo. Como já citamos no post Países pequenos promovidos pelo futebol Parte 2.

Duas vezes campeão do mundo, maior vencedor de Copas América e, em nível de clubes, é a terceira nação que mais venceu a Copa Libertadores, com oito títulos.

Peñarol conquistou 5 e Nacional 3. No âmbito nacional também dividem as atenções, o que leva muita gente a acreditar que só eles ganham o campeonato uruguaio. Ok, quase isso! Na verdade, existe um clube que de vez em quando desafia os titãs de Montevidéu.

Defensor Sporting -sempre desafiando gigantes.

Se o Defensor Sporting Club pudesse ser tão forte quanto o seu fardamento é belo, provavelmente, teria sido muito mais vezes campeão, mas como camisa não joga, o clube precisou “agarrar o touro à unha”, durante a sua vida, para que sua sala de troféus não ficasse vazia.

Fundado em 15 de março de 1913  como  Defensor Football Club, a instituição ainda mudou de nome para Club Atletico Defensor, em 22, e se consolidou em 89 como Defensor Sporting Club, após se fundir com o Sporting Club Uruguay.

Foto da sede do Defensor Sporting.
Sede do Defensor Sporting

O nome foi inspirado em um time de trabalhadores de uma fábrica de vidros, chamado Defensores de la Huelga. No escudo, além das cores e sigla da agremiação, está representado o Farol de Punta Carretas, bairro de Montevidéu onde o clube nasceu.

Foto do farol de Punta Carretas.
Farol de Punta Carretas.

Defensor Sporting – O fardamento que viraria marca registrada

O primeiro fardamento do clube foi todo negro, com uma faixa azul celeste e as mangas verdes. Em 1915, após votação, resolveu mudar para vermelho e verde, porém quando foram se registrar na federação foram impedidos, pois o extinto Belgrano, de Montevidéu, usava essa combinação. Decididos em mudar as cores de qualquer maneira, os diretores foram a uma loja e compraram camisas violetas. Uma das poucas cores que ninguém havia usado.

Foto da camisa do Defensor Sporting.
Camisa do Defensor Sporting.

“La Violeta” passou maus bocados desde a sua fundação até ganhar algo. Foram dois rebaixamentos, um deles, inclusive, fez com que a equipe fosse dissolvida. Em 1918 houve uma debandada do clube, tanto de jogadores como de dirigentes. 

O time só voltou à ativa em 22, em uma época onde o futebol uruguaio estava rachado em duas federações a FUF  e a AUF. Inicialmente, a agremiação voltou com o nome de Club Atletico Defensor, disputando a liga da FUF, até 1926, quando retornou à AUF.

Seu primeiro título foi o Torneo de Honor em 47, dividido com o Penãrol. Passou por rebaixamento em 49, voltando logo no ano seguinte. Em 57, se classificou para o Torneo Cuadrangular que, como o próprio nome sugere, reunia as quatro melhores equipes da primeira divisão uruguaia.

Esse foi um momento emblemático na história dos violas, pois levantaram o troféu, segundo de sua história, de forma invicta, batendo por 2×0 os gigantes Nacional e Penãrol e empatando com o Fênix por 1×1.

foto do estádio Luis Franzini.
Estádio Luis Franzini: casa do Defensor Sporting

Em 1960, quando o futebol começava a moldar suas competições no formato de hoje em dia, houve a primeira tentativa no Uruguai de fazer uma competição envolvendo os clubes de todo o país para entrar de vez na era do profissionalismo.

E o primeiro torneio nesse formato foi a Copa Artigas, que foi marcante para “El Tuerto”. Em 13 partidas, foram 11 vitórias, batendo os grandes nessa sequência, e dois empates, sendo campeão invicto e também conquistando o primeiro troféu profissional de sua história.

Esse título foi tão marcante que o seu estádio leva o nome de  Luis Franzini, presidente do clube por duas ocasiões. Frazini era presidente no título da Copa Artigas, em 60, morreu em 62 e o estádio foi inaugurado em 63. A tribuna virada para a Playa Ramírez é chamada de 6 de agosto de 1960, data em que o Defensor se sagrou campeão.

Foto da localização do estádio do Luis Franzini em relação á Playa Ramírez.
O Estádio Luis Franzini fica colado à Playa Ramírez.

Em 64, mais um rebaixamento e, apesar da volta instantânea na temporada seguinte, o clube vivia  um período complicado, já que após o retorno à elite, terminou a maioria das temporadas do meio para baixo na tabela.

Defensor Sporting – Revolução e glória em 76

A grande virada veio em 1971, com a chegada de Ricardo De León e Julio Gioscia que fizeram um trabalho forte de base para moldar o futuro de “La Violeta”. Em 5 anos o clube conseguiu terminar três temporadas entre os 5 primeiros. A equipe evoluiu até chegar no ponto máximo, em 1976.

Após o Montevideo Wanderers ser campeão da Liga Uruguaia, em 1931, ainda na época pré-profissionalismo, começou uma sequência onde Penãrol ou Nacional era campeões. 

Esse domínio durou 44 anos! A superioridade dos dois colossos era tão assombrosa que muitos se perguntavam se algum dia algum clube iria quebrar esse duopólio.

O Defensor conseguiu a façanha: venceu o campeonato uruguaio pela primeira vez na sua história em 76, terminando um pontinho à frente do Penãrol. A equipe deu a volta olímpica ao contrário, tradição que segue até hoje. 

foto da equipe do Defensor Sporting que quebrou a sequência de Nacional e Peñarol em 76.
Equipe do Defensor Sporting que quebrou a sequência de Nacional e Peñarol em 76.

Defensor Sporting –

O mentor

Ricardo De León foi o principal mentor da conquista. Esse ano marcava seu retorno aos Violas. De León foi muito criticado em sua carreira pela sua forma de jogo defensivo, sendo, inclusive, chamado pela imprensa uruguaia de “el antifútbol”. Mesmo assim ele foi um influenciador na concepção tática e estratégica do futebol no país.

Foto de José Ricardo De León.
Professor José Ricardo De León, um dos treinadores que mais influenciaram o estilo de jogo uruguaio.

A partir daí, o clube entrou em uma fase mais sólida, já que no ano seguinte foi campeão da Liguilla, uma seletiva para a Libertadores que reunia os melhores times uruguaios. 

Pela primeira vez em sua história“La Violeta” disputava uma competição internacional. Infelizmente para eles, seu grupo tinha “apenas” Boca Juniors, River Plate e Peñarol.

O time até foi valente, pois, apesar de eliminado, terminou à frente do rival nacional, que inclusive, chegou a ser batido pelo Defensor fora de casa.

O clube chegou a passar uma fase boa, ganhando a Liguilla,em 79 e 81, o que o levou a disputar a libertadores outras vezes. Além disso, de 77 a 83, o time terminou na metade de cima da tabela, sendo 5 vezes entre os 4 melhores. 

O curioso é que quando todos achavam que o clube tinha “virado o fio”, é que ele retornou a levantar uma taça nacional“La Farola” vinha de três temporadas na parte de baixo da tabela, 7º em 84, 12º em 85 e 8º em 86.

Em 87, veio uma glória inesperada, campeão uruguaio com 3 pontos de vantagem para o Nacional. Foi histórico mais uma vez, pois foi o primeiro time fora Penãrol e Nacional, a conquistar a liga duas vezes. A torcida também iria comemorar em 1991 e 2007.

foto das equipes do Defensor Sporting campeão em 87, 91 e 2007.
Defensor Sporting campeão em 87, 91 e 2007.


Em competições internacionais houve grandes momentos. Alcançou as quartas de final da Libertadores de 2007, chegando a  vencer o Grêmio no jogo de ida, em casa, mas perdeu pelo mesmo placar no Brasil, sendo eliminado nos penaltys.

No mesmo ano, também participou da Copa Sul-Americana, quando novamente chegou às quartas, sendo eliminado pelo River Plate pelos gols fora. Em 2009, provou mais uma vez que é um tombador de gigantes. 

Após empatar com o Boca Juniors por 2×2, em Montevidéu, tudo levava a crer que não haveria chance do Defensor se classificar na Bombonera. Final de jogo: 1×0 para os violetas. O clube acabara com uma incrível série invencível do Boca jogando em casa, e, de novo, ascendeu às quartas de final de uma competição continental.

Foto de Riquelme lamentado a eliminação para o Defensor.
Riquelme não acredita. Boca foi batido em casa pelo Defensor Sporting

Na Sul-Americana de 2010 entrou para o livro dos recordes da competição ao fazer 9×0 no Sport Huancayo, do Peru. Jogando a Libertadores de 2014 veio a melhor participação do clube uruguaio em competições internacionais. 

“El Violeta” terminou em primeiro, em um grupo que ainda contava com times como Universidad de Chile e Cruzeiro. Destaque para a vitórias sobre brasileiros.

Nas oitavas eliminou o  The Strongest, da Bolívia, nos penaltys e nas quartas passou fácil pelo Atletico Nacional da Colômbia. Nas semifinais perdeu para o Nacional, do Paraguai. Em 2015, perdeu nas quartas, frente ao Huracán, da Argentina.

Foto do Defensor Sporting de 2014. O clube chegou às semifinais da Libertadores.
Defensor Sporting de 2014. O clube chegou às semifinais da Libertadores.

Abaixo, os jogadores clássicos que tiveram passagem pelo Defensor Sporting.

Loco Abreu

Foto de Loco Abreu com a camisa do Defensor Sporting.

De Arrascaeta

Foto de De Arrascaeta com a camisa do Defensor Sporting.


Martín Silva

Foto de Martín Silva com a camisa do Defensor Sporting.

Maxi Gómez

Foto de Maxi Gómez com a camisa do Defensor Sporting.

Ricardo Pavoni

Foto de Ricardo Pavoni com a camisa do Defensor Sporting.

Maxi Pereira

Foto de Maxi Pereira com a camisa do Defensor Sporting.

Martín Cáceres

Foto de Martín Cáceres com a camisa do Defensor Sporting.

Diego Laxalt

Foto de Diego Laxalt com a camisa do Defensor Sporting.

Gostou do material?  Compartilhe com seus amigos.

Equipe FCA

Instagram: @FutebolComAmorbr

Twitter: @FutebolComAmor

Facebook: FutebolComAmor

Canal no Youtube: FutebolcomAmorSite

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *