Já foi (ou ainda é) grande: Fredrikstad FK

Às margens do rio Glomma há um gigante adormecido.

Emblema do Fredrikstad FK
Emblema do Fredrikstad FK

Fredrikstad FK- Se você pedir para dez amigos seus citarem um time norueguês, sem trapacear no Google, acredito que a maioria iria falar Rosenborg. Afinal, é o time que abocanha tudo no país nórdico. Alguns mais ligados poderiam citar, com louvor, o Molde, principalmente pelas campanhas recentes em liga Europa.

Ok! Totalmente aceitável! Porém, existe uma agremiação que foi a primeira a ser fundada como exclusivamente clube de futebol e ainda é uma das maiores vencedoras da nação. Hoje na 3ª divisão o Fredrikstad Fotballklubb pode olhar para trás com orgulho.

Um pouco de história

Imagem da cidade de Cidade de Fredrikstad FK
Cidade de Fredrikstad

Fundado em 1903, o clube leva o nome da sua cidade localizada no condado de Østfold, ao sul da Noruega, bem perto da fronteira com a Suécia e a 90km da badalada (e cara) capital, Oslo. Com uma população de 81 mil pessoas (6ª maior do país), o lugar foi fundado em 1567, pelo rei Frederick II. Por isso o nome Frederick + Stad (Cidade) ou seja a “Cidade do Frederick”, que também pode se orgulhar por ter a foz do rio Glomma, o maior de toda a Escandinávia.

Dominando no Pré-Guerra

Os Aristokratene (aristocratas) mudaram muito de cores até 1927, quando definiram o fardamento vermelho e branco atual. Em matéria de estádio foi um pioneiro, já que o Fredrikstad Stadion foi o primeiro da Noruega a ter refletores, tecnologia avançada para a época.

Imagem do antigo  Fredrikstad Stadion
O velho Fredrikstad Stadion foi demolido em 2006, no lugar foram construídos centros comerciais e flats.

Em 1932, chegaram a sua primeira final, na Copa da Noruega, onde não apenas venceram, como iniciaram uma hegemonia nos anos 30, pois, em um período de 10 anos, foram nada menos do que 7 títulos: 2 da liga, onde faturaram a primeira edição, e 5 da copa, com direito a dobradinha em 1938. E como em um antigo filme clichê, tudo estava indo bem e então veio a guerra.

Imagem da Final da Copa da Noruega de 1938.
Final da Copa da Noruega de 1938, o futebol já era bastante popular.

Volta claudicante

Após o fim da ocupação alemã, o FFK era o bastião de melhor futebol jogado na Noruega, porém sua torcida precisou sangrar para poder sorrir de novo. Até voltar a faturar a liga, o time perdeu 2 finais seguidas de copa , todas elas para o Lyn Oslo. Em 1948, se por um lado haviam celebrações pelo tri da liga, ao mesmo tempo veio a lamentação de perder a copa para o rival da cidade mais próxima, o Sarpsborg.

Era de ouro do Fredrikstad FK

imagem do sorteio de campo e bola antes do jogo na época de ouro do Fredrikstad FK.
Fredrikstad FK na sua época de ouro

Desse período até o final dos anos 70, os vermelho e branco ficaram de barriga cheia. Foram 2 bi da liga, além de outra dobradinha em 61, somando seis troféus do campeonato e quatro da Copa da Noruega, o que levou a representar o país na então Copa dos Campeões da Europa, em 1960, fazendo bonito ao eliminar o colosso Ajax no mata-mata: 4-3 no país nórdico e 0-0 em Amsterdam.

Declínio do Fredrikstad FK

Após a glória na copa, em 1966, o FFK estava consolidado como o maior time da Noruega e um dos melhores da Escandinávia, porém vieram os tempos modernos e podemos dizer que a instituição parou no tempo, pois cada vez mais o futebol ficava profissional, com jogadores tendo uma rotina maior de treinamentos e sendo exclusivamente atletas. Por outro lado, por ter um futebol alegre e descontraído, o Fredrikstad se recusou a entrar nessa era e foi assim engolido por clubes como o Rosenborg, por exemplo, que ascendia mais e mais como uma potência.

Tudo isso resultou em vinte e dois anos sem saber o que era dar uma volta olímpica e pior, o clube foi rebaixado várias vezes se tornando assim um “time iô iô”. Em 1984, veio o fim do jejum com a conquista da Copa da Noruega, a décima da sua história, feito notável que ainda o classificou para o torneio dos campeões de copa do ano seguinte.

O campeão voltou? De volta aos trilhos? Não e não, pois, no mesmo ano, a agremiação sofreu mais um rebaixamento. Realmente, foi um ano de emoções conflitantes no sul da Noruega. 

Per Egil Ahlsen marcando de penalty o 2º gol do FFK na final da Copa da Noruega de 84.
Per Egil Ahlsen marcando de penalty o 2º gol do Fredrikstad FK na final da Copa da Noruega de 84.

A participação na competição europeia de 85-86 se resumiu em uma eliminação no primeiro mata-mata para o “possante” Bangor City do País de Gales pelos gols fora. Como desgraça pouca é bobagem, o FFK  chegou a ser rebaixado para a terceira divisão, em 92, onde ficaria por uma década. Não é preciso nem falar que nesse período não houve volta olímpica na cidade, pelo menos não no futebol. Na verdade, para que isso acontecesse de novo só se algum messias operasse um milagre e de fato isso aconteceu.

O milagre de Eggen

Imagem de Knut Torbjørn Eggen
Knut Torbjørn Eggen

Knut Torbjørn Eggen é apontado como o principal mentor da retomada do Fredrikstad. Tendo jogado por 13 anos no Rosenborg e com experiência em alguns clubes na parte de comissão, Knut implementou o que o gigante adormecido precisava: profissionalismo. Ele mudou todo o modus operandi do clube de cabo a rabo, os resultados voltaram a acontecer e a torcida vermelha e branca viveria anos felizes novamente.

O comandante pegou o clube na terceira divisão, em 2001, e, meteoricamente, ascendeu à elite, conseguindo duas promoções seguidas, fazendo assim com que no ano de seu centenário a instituição subisse ao lugar de onde nunca deveria ter saído (frase clichê detected).

Em 2005, Eggen passou a ocupar a posição de assistente da comissão técnica do clube que contratou uma outra lenda local e nacional para o comando de campo. Estou falando de Egil Roger Olsen, que além de ter sido o treinador da última participação da Noruega em copas do mundo em 98, nessa mesma copa conseguiu uma vitória épica contra o Brasil.

Após uma temporada não muito empolgante, Olsen se aposentou por motivos de saúde, fazendo assim com que Eggen voltasse ao comando para a temporada de 2006.

Foto de Eggen e Olsen
A dobradinha Eggen e Olsen durou apenas uma temporada.

A glória

Nesse ano, um oitavo lugar respeitoso na liga fazia com que o time se acostumasse cada vez mais em estar entre os melhores, mas a verdadeira alegria veio na competição de mata-mata nacional. Depois de um verdadeiro passeio nas quartas de final, metendo 3-0 no gigante da capital Valerenga, os comandados de Eggen partiram com tudo para a glória e ela veio (e como veio).

Fredrikstad FK levantando o troféu de campeão da Copa da Noruega de 2006.
Fredrikstad FK campeão da Copa da Noruega de 2006

No dia 12 de novembro de 2006, 25 mil pessoas no Ullevaal Stadion viram o Fredrikstad Fotballklubb levantar a sua 11ª taça de campeão da Copa da Noruega. Sim, a torcida sorriu e sim, Eggen operou um milagre e ainda revelou o atacante Tarik Elyounoussi para o mundo. Time campeão, técnico com o elenco na mão, se esperava que certamente o FFK voltasse a ser competitivo todos os anos após esse troféu.

Eggen com o troféu de campeão da Copa da Noruega de 2006.
Eggen levou FFK a glória em 2006.

O pós Eggen no Fredrikstad FK

Eggen optou por não continuar seu trabalho para a temporada de 2007 primordialmente a sérios atritos com o então CEO (nada flor que se cheire), Morgan Andersen. E, pelo jeito, ele fez a coisa certa, como a história mostrou, pois um ano depois o mandatário foi declarado pelo tribunal de Oslo culpado por fraldar contratos, dentre eles o de John Obi Mikel (ele mesmo) na sua época de Lyn Oslo.

Foto de Morgan Andersen.
Morgan Andersen em sua época de CEO do FFK.

Vale salientar que o clima realmente era de otimismo aos anos que viriam, pois além da façanha da temporada anterior, o clube inaugurava a sua nova casa, o novo Fredrikstad Stadion, muito mais moderno e em uma área central da cidade.

Imagem aérea do  novo Fredrikstad Stadion.
O estádio foi construído onde havia um estaleiro, inclusive as arquibancadas laterais foram feitas aproveitando a estrutura da antiga construção.

Logo após a era Eggen, os resultados não foram nada bons. Disputou a Liga Europa, em 2007, e perdeu logo de cara para o rival escandinavo, Hammarby. Posteriormente, em 2008, foi vice da liga, retornando a competições continentais no ano seguinte e foi varrido, também no primeiro mata-mata para o Lech Poznan, da Polônia, por 7×3 no agregado. Detalhe curioso é que o fardamento do clube é inspirado no da seleção Polonesa.

Camisa do Fredrikstad FK.
O FFK teve que pedir autorização à federação polonesa
de futebol para incorporar suas cores.

Afundando sem parar

Os torcedores bem que queriam que o problema fosse perder em competição europeia, pois isso obviamente queria dizer que sempre estariam entre os melhores do país, mas o buraco ficou mais fundo.

O FFK foi rebaixado na mesma temporada, subiu na seguinte, se manteve por uma temporada, onde até beliscou uma semi-final de Copa da Noruega, mas foi rebaixado e desde 2012 (voz tenebrosa) nunca mais voltou à elite da Noruega.

Aliás, a questão ficou até mais cabeluda, já que em 2017 o time tombou novamente para o 3º escalão do futebol nacional e vai continuar pelo menos até 2022, já que ficou a 5 pontos da zona de subida, em 2019.

Mesmo assim o torcedor do Fredrikstad FK pode se orgulhar

O Fredrikstad FK provou ao longo de sua história que pode ressurgir das cinzas quando ninguém espera. Além disso, mesmo com todas essas hecatombes, a agremiação ainda está na história do futebol norueguês.

O FFK é 3º maior campeão da história da Copa da Noruega, com 11 conquistas e está atrás apenas do gigante Rosenborg na lista de maiores ganhadores da liga, com os seus 9 troféus, ou seja, são nada menos do que 20 títulos nacionais. Portanto, há de se respeitar (e muito) esse gigante!

Equipe FCA
Instagram: @FutebolComAmorbr
Twitter: @FutebolComAmor
Facebook: FutebolComAmor
Canal no Youtube: FutebolcomAmorSite

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *